Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Som dos Sentidos ♥

Tudo e mais alguma coisa. E gatos. E revolta.


15
Out17

15 dias de saudade

Marie C.

Imagem de couple, love, and boy

 

Há quinze dias que parti para longe de ti. Há quinze dias que não sinto o teu toque, que não oiço a tua respiração no meu ouvido. Quinze dias deram para perceber como o amor não tem distância, nacionalidade ou estação. Faz quinze dias que  não te aperto o nariz e solto um grunhido amoroso. Cada dia que passou serviu para dar valor ao teu amor. Não foram quinze dias de tristeza, foram quinze dias de vontade de te abraçar.

 

15
Dez13

Todos os dias, são dias.

Marie C.

Os chapéus de palha, naquelas manhãs de sol no campo a ensinar-me a cavar batatas. Mal sabia pegar na enxada, mas com muita paciência lá me ensinava ela. As pessoas de quem menos esperamos, por vezes são aquelas que deixam mais saudade. Apenas me arrependo de não ter demonstrado mais o amor que em mim viva por ela. As grandes mulheres existem e são elas boas mãe para sempre. No coração ficou aquela dor de saber que muitas vezes a raiva foi mais forte que o respeito. Na memória e no mesmo coração onde vive o arrependimento, ficam os Natais passados à lareira, onde toda a família se juntava a brincar ao pinhão e a contar histórias de traquinices juviais. Ficam aquelas tardes de Inverno, que se prolongavam até as 9 da noite , a ouvir histórias da juventude e de vida ,onde havia sempre uma moral e uma risada. Ficam os passeios sempre com zanguinhas e amuos típicos. Ficaram aqueles ensinamentos como fazer ponto cruz, cavar batatas e plantar cebolas. É claro que ficam aquelas festas de família e jantares de Domingo ocasionais , onde a presença era fundamental. A saudade é aquela porta do fundo, onde vamos sempre ter . O fundamental é que aprendi assim que nem tudo é para sempre e cada momento é um momento para a vida. Ela foi uma mulher viva, ela foi uma mulher cheia de graça . Ela foi a mulher que deu amor a quem me deu amor a mim. Uma mãe para a vida, onde por vezes sinto a presença . Todos os dias me lembro dela ? Não, nem todos. Mas naqueles em que a saudade de casa bate em mim, sim , nesses momentos eu lembro-me dela. Nunca com uma lágrima, mas sim com uma saudade que sabe bem. De relembrar a bravura e o amor. As chamadas que duravam 4 minutos , mas que traziam amor divino e gargalhada. Todos os dias do meu tempo de criança a correr de bicicleta para a casa dela. Hoje não é o seu aniversário, nem tão pouco o aniversário da sua morte. Não é um dia triste, nem tão pouco um dia que relembre pessoas que já foram na nossa vida. Hoje é um dia como outro qualquer, em que relembrei com muita saudade que fazes falta para unir a família que se quebrou assim que foste. Não é preciso haver um dia especial para te relembrar, porque qualquer dia é um dia óptimo para dizer que te amei e te amo.

Com saudade, para ti avó, que sei que estás ai a olhar por mim 


10
Jun12

Saudade é saber que guardamos uma felicidade para sempre.

Marie C.

 

 

Todos sentimos saudade. Sentir saudade é humano, e como dizem , é tipicamente Português. Se amor é um fogo que arde por dentro, saudade é um frio que congela. A saudade não é benvinda a nós , apesar de por vezes ser uma coisa boa  por sabermos que sentido têm as pessoas ou coisas na nossa vida. Tenho saudades de casa, de entrar e ouvir logo a minha mãe a reclamar que isto não está onde devia ou aquilo não está como ela quer. Entrar e ter a minha gata, deitada em cima da minha cama clandestinamente sempre atenta à presença nada oportuna para ela  do meu pai . É duro quando estamos longe e sozinhos. Longe do que sempre vimos crescer, longe daquilo que nos viu crescer. É duro quando ao fim de quatro ou 5 semanas adormecemos sempre com o peito preso, cheio de saudade. Saudades do meu quarto frio e em tons de bordou . Saudades da doce rabugice do meu pai quando me via na cama pela manhã e me acordava a cantar para ir dar um passeio com ele. Tenho saudades da praia, do cheiro a mar caracteristico do litoral nortenho. Aquele cheiro imenso a algas e sal logo pela manhã. Quando se ama aquilo que sem tem, é-sse feliz . Quando se sente saudades daquilo que nos fazia feliz,é porque necessitamos disso. Saudades daquela liberdade e nostalgia das noites de verão sentada no jardim sem fazer nada. Saudades de não ter obrigações que impliquem dinheiro , estudos e complicações.Tenho saudades de viajar, sem ser da Covilhã para Braga. Sentir o fresco de terra nova, o conhecimento de uma nova lembrança de um local. Tenho saudades de fotografar. Flores, a Ticha, o Robin, pequenos insectos, o meu irmão a jogar computador . Tenho saudades de não ter que passar o meu domingo sentada numa cadeira a fazer relatórios . Quem disse que a saudade era para meninos, nunca soube o que era sentir-se feliz por meros segundos e guardar essa felicidade para sempre.

 


Sobre mim:




Uma nortenha ferranha e teimosa que acha que sabe escrever.
25 anos de gatinhos e cabelo fora do sítio.


Este blog pode conter vestigios de gatinhos, flores, ciência e ironia.

Um blog que fala de tudo,mas no fim não diz nada.

Deixa-me uma mensagem: